Pratos exóticos da culinária japonesa

 

 


Pratos exóticos da culinária japonesa

O Japão, país de tradições e costumes fascinantes, tem uma culinária rica e um tanto quanto exótica. Apesar dos ocidentais apreciarem muito seus pratos, a cozinha japonesa ainda guarda algumas iguarias muito esquisitas, e que é preciso muita coragem e um bom estômago para encará-las.

Devido a fatores geográficos e climáticos – o Japão é composto por quatro ilhas maiores e muitas outras pequenas, ou seja, é cercado de mar por todos os lados; além de ter alto índice de chuvas, solo vulcânico, relevo montanhoso, entre outros – a sua culinária tem com o base peixes, frutos do mar e grãos, principalmente a soja e o arroz.

Bem longe dos deliciosos e saudáveis sushis, sashimis, tempuras e outras maravilhas que nós ocidentais conhecemos bem, estão alguns pratos exóticos e que, segundo a sabedoria dos orientais, são muito nutritivos e trazem grandes benefícios para a saúde.

Eles usam, na preparação, ingredientes esquisitos, como grãos fermentados, algas, além de uma diversidade de peixes, frutos do mar , insetos, larvas e animais, que dariam até para ter sonhos (ou pesadelos?) inspiradores para acertar no resultado do jogo do bicho.

Vamos conhecer alguns exemplos:

Natto (纳豆)

 

 

 

 

Este prato milenar nada mais é que a soja fermentada, onde os grãos criam uma espécie de gosma pegajosa, de sabor forte e cheiro repulsivo. A origem do alimento data da época do Japão Feudal, e é uma rica fonte de proteínas. O prato é muito apreciado no café da manhã, acompanhando o arroz, com alguns molhos e outros ingredientes, que incluem, para “melhorar” um pouquinho o sabor… um ovo de codorna cru, quebrado por cima de tudo. Vai encarar?

 

Hachinoko (蜂の子)

 

 

 


Considerada uma iguaria, inclusive a preferida do Imperador Hirohito, Hachinoko nada mais é que larvas de abelhas, prato típico da cidade de Matsumoto. O costume de usar esse alimento teve origem em tempos passados, na dificuldade da população em conseguir outras fontes de proteína. As larvas têm um formato pequeno, com textura de um grão de risoto cozido.

São temperadas com molho de soja e açúcar e o gosto final lembra melado de cana. Podem ser encontradas enlatadas, são apreciadas com arroz ou ainda compondo os canapés das festas. São servidas ainda na forma crocante, nos pubs japoneses. Na falta de amendoim…



Basashi (馬刺し)

 

 

 

Também conhecido como Sakura-niku, trata-se de um Sashimi de carne de cavalo, e seu nome, remete ao vermelho das flores das cerejeiras (Sakura). O prato foi criado como solução para substituir o sashimi tradicional de atum, em função de restrições à pesca dessa espécie em determinada época.

O sashimi de cavalo é uma especialidade das províncias de Kumamoto, Gifu, Nagano, Yamanashi e Fukushima. Para acompanhá-lo, é necessário um molho forte de alho, gengibre, wasabi e cebolinha, além do shoyu. É uma carne de baixa caloria e alto teor proteico, mas ainda estranha para o nosso consumo. E aí? Já experimentou alguma dessas três iguarias exóticas japonesas? O que achou?

 

Fonte: Japão em Foco

Scroll to top